[Resenha] A Herdeira - Kiera Cass

12 de mai de 2017

Título: A Herdeira (Seleção#4)
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 391
Lançamento: 2015
Classificação: 3/5
Sinopse:
“Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia."           

  ***esta resenha pode conter spoilers dos livros anteriores***

Antes de mais nada, gente o que foi o final do livro A Escolha? Eu amei com todas as minhas forças todos os detalhes, do mais fofo até o mais trágico; houve momentos em que parecia que o George R. R. Martin estava escrevendo o livro no lugar da Kiera, porque muita gente morreu. Eu imaginei inúmeros finais para o livro, mas em nenhum deles o Rei, a Rainha e nem o pai da America estavam mortos. Eu realmente me surpreendi e cheguei a ficar em choque, mas por fim entendi que para chegar onde a história chegou, era necessário que isso acontecesse.

O casamento, juntamente com a coroação aconteceram rapidamente e fiquei com aquele gostinho de quero mais sabe, fiquei sedenta por mais de Maxon e America. Eu sabia desde o primeiro livro que ela não ficaria com o Aspen, apesar da história deles ter acontecido primeiro e por mais tempo. Era evidente a química que existia entre ela e o príncipe. Com tudo isso, eu jurava que no livro A Herdeira, eu teria a chance de saber mais sobre eles. Imagine minha surpresa, já que não li resenha nenhuma nem a sinopse do livro, ao perceber que haviam se passado anos e agora aquela história que tanto me conquistou, ficou em segundo plano.

O livro não é de todo ruim, mas convenhamos que para quem leu os três primeiros é meio difícil se adaptar com o quarto livro devido a mudança drástica no enredo.

Anos depois, as castas finalmente foram dissolvidas e as pessoas tem a liberdade de escolherem o que querem ser. Tudo bem, esperávamos que isso acontecesse e tudo mais, mas confesso que gostaria de saber, ou melhor, de fazer parte do processo ao ler como eles conseguiram tal prodígio. Nas primeiras páginas ficamos sabendo que America teve gêmeos, um casal, sendo a menina, Eadlyn, a mais velha, portanto herdeira do trono, e um menino, Ahren, que nasceu sete minutos depois. Além desses ela teve mais dois filhos, Kaden e Osten.

Ter uma garota como herdeira é algo inusitado o que faz com que muitas expectativas fossem geradas sobre a família monarca. Ao invés de ataques rebeldes, vemos aqui algumas pessoas que não estão satisfeitas com as atitudes do Rei, algumas pessoas preferem as castas do que ter de viver junto com um Sete ou Oito. Alguns conflitos começam a surgir e fica claro que Maxon está cansado de governar.

Acho que todos, se não a maioria, já ouviram falar da famosa teoria Pão e Circo. Maxon precisa de um tempo para arquitetar uma forma de resolver a situação do seu povo, e para isso, pede que sua filha participe da Seleção, assim como ele participou. Nós lembramos como tudo foi armado para Maxon no passado, e por isso, ele prometeu a sua filha que nunca a faria passar por isso. Ele dá a notícia a sua filha, e espera que ela consiga enxergar a importância disso e acabe aceitando, já que ele não a forçaria a nada.

Eadlyn é uma jovem forte, totalmente independente, e me atrevo a dizer que as vezes ela se acha autossuficiente. Ela acredita que não precisa se casar para reinar e que isso tudo é muito para ela suportar. Por fim, ela acaba aceitando com uma condição: se no período de três meses ela não se apaixonar por ninguém, ela não vai escolher nenhum dos trinta e cinco rapazes; seu pai acaba aceitando, grato por ter esse tempo para traçar uma estratégia.

Os preparativos começam, e os meninos são sorteados ao vivo, pela princesa, durante o Jornal Oficial, e logo de cara já temos uma surpresa. Nota-se, quase que instantaneamente, a empolgação da população. Sem contar que nos dias seguintes eles recebem a notícia de que os conflitos diminuíram. Demorei um pouco para entender a Eadlyn, ela usa e abusa do conforto que tem e parece ser alheia as necessidades das pessoas à sua volta.

Ao contrário do pai, que durante a Seleção, reservou tempo e se esforçou para conhecer as garotas, Eadlyn parece ser fria com os meninos, ao ponto de fazer tudo planejado para as telinhas. Sério, ela até chega a pedir para Kile, um dos selecionados e filho da madame Marlee - fiquei feliz em saber que ela conseguiu uma posição a altura dela, depois de tudo o que ela e o marido passaram no outro livro - e a quem nossa princesa não suporta, que ele a beijasse estrategicamente as nove horas já que um fotografo estaria no corredor do quarto dela nesse horário. É claro que como eles não se dão, ele pede algo em troca. Seu desejo é sair do palácio, ele tem outros sonhos e não quer ficar preso ali. Então Eadlyn se compromete a falar com Marlee para que ela permita que seu filho parta do palácio. 

No decorrer da seleção, a reação dos súditos em relação a futura rainha é das piores. Parece que tudo que ela faz é mal visto por eles, e, portanto, ela terá de descobrir o porquê dessa rejeição. 

Na verdade, eu não sei ao certo o que posso contar além disso, como a história é mais corrida, as coisas acontecem muito rápido, tanto é que temos apensa dois volumes dedicados a ela. Eu preferiria que não houvessem mais dois livros, porque achei desnecessário essa continuação, mas ouve momentos  em que realmente gostei do livro. 

Podemos acompanhar o amadurecimento da Eadlyn no decorrer da história e como alguns dos selecionados, podem ser tornar especiais sem que ao menos ela perceba esse processo. A princesa não é nada daquilo que eu imaginei que seria, ela pensa somente nela, é totalmente alheia as vontades e aos sentimentos até da sua criada, ou seja, é o oposto da America. Mesmo ela tendo nascido mulher e herdeira do trono, seu comportamento não é aceitável em nenhuma das situações.

Espero que vocês curtam a leitura mais do que eu. A escrita da Kiera continua fluída e gostosa de se ler. E vocês? Já leram? Me contem nos comentários o que vocês acharam da história.

Beijokas e até a próxima!

14 comentários :

  1. Olá, Priscila.
    A autora devia ter parado no terceiro livro mesmo. Eu até que gostei desse, consegui entender a protagonista, que foi criada daquele jeito por isso ela é assim, mas é um livro que não faria falta.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né. Acho que o posso levar desses dois livros é vislumbre que tive da vida do Maxon e da America. Adorei rever os dois.
      Beijokas

      Excluir
  2. Oi Priscila!
    Eu odeio esse livro, rs. Desculpa a sinceridade, mas é o livro que mais me irritou até hoje, rs. Sabe aquele que eu queria 'desler'? É ESSE!!!!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê!
      Te entendo perfeitamente, mas só se você estiver falando desses dois últimos livros porque os três primeiros eu amei haha
      Beijokas

      Excluir
  3. Oi .Tudo bem?
    Eadlyn é ben egoista mesmo .Não só os suditos dos livros ,mas também os leitores nãp cairam de amores pela herdeira.
    Sinceramente o principal motivo para que eu lesse "A coroa" foi porque a Kiera conseguiu me fisgar e bem na hora que comecei a me interessar mais pela trama o livro terminou...

    Eu tenho uma teoria do porque dessas duas continuação, mas para explica eu iria ter que dar spoiler e estragar o proximo livro para você.

    Beijos
    Amei a resenha

    Meu mundinho quase perfeito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Babi!
      Eu li o último livro já e não consegui entender kkkkk
      espero que você me conte quando a resenha A Coroa for ao ar.
      Beijokas

      Excluir
  4. Oooii!

    Eu já li o livro e li inúmeras resenhas também. A menina tem a fama mesmo de ser chata e mimada, mas não se preocupe porque vai melhorando no livro seguinte. Li que você não curtiu muito a leitura, já eu curti. Só que achei o último livro bem fraquinho. Talvez você não curta também, mas não é descartável. Vai gostar de saber a conclusão da trama rsrsrs Beijos,

    www.estranhoscomoeu.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Eu li o último livro e apesar de ter gostado de alguns detalhes, não posso dizer que é um livro que eu goste. Mas que bom que a obra foi uma boa leitura para você.
      Beijokas

      Excluir
  5. Olá Pri, tudo bem?
    Menina, também achei desnecessário. Enfim, no começo achei a Eadlyn super chata, mas com o tempo passei a gostar dela e também do livro. Enretanto, em "A coroa" a Kiera conseguiu apenas uma coisa, me deixar com raiva. Espero que você tenha mais sorte...
    Beijos!

    http://excentricagarota.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Esther!
      Senti a mesma coisa com o livro A Coroa. A Kiera estava indo tão bem com os três primeiro livros né, não precisava desses dois. E sim, a Eadlyn é super chatinha.
      Beijokas

      Excluir
  6. Oi Pri, sua linda, tudo bem?
    Li a opinião de algumas pessoas que acharam o mesmo que você: esse livro não era necessário e que a protagonista não agradou muito. Mas não tem jeito, quando estamos lendo uma série, somos fiéis a ela e queremos todos os livros, risos.... E vou gostar de saber com quem ela vai ficar, ou melhor se alguém vai desafiar esse jeito dela. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha
      Oi Cila!
      Te entendo. Quando uma série me pega de jeito, não há opinião que me faça vacilar. Espero que goste do final.
      Beijão

      Excluir
  7. Oi Pri,

    Acho lindo esse livro, eu ainda não li ele mas adoro a história e a sua resenha me deixou com mais vontade de ler ele.

    Beijos :*

    Literatura Por Amor

    ResponderExcluir
  8. Eu sou completamente apaixonada pela Eadlyn e fico curiosa por não entender como as pessoas não gostam dela. Eadlyn é a mistura sincera a America e do Maxon, uma mistura sem mimimi, já que ela foi criada para simplesmente ser a próxima rainha, quem com tanta responsabilidade, poderia ser tão comum? Amo a personalidade dela, diferentemente da Mãe que por mim teria morrido no lugar de uma personagem que muitos odeiam.

    ResponderExcluir