Divergente - Veronica Roth

7 de ago de 2016

Título: Divergente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 504
Lançamento: 2012

Sinopse: 
"Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive."



Acredito que a maioria das pessoas já tenham tido algum tipo de contato com essa obra, seja por meio dos filmes ou dos livros. Eu até semana passada, só tinha assistido aos filmes e não sei bem o porque, me recusava a ler os livros, acho que eu tinha a ideia de que não iria gostar tanto da leitura por já conhecer um pouco da história. Como eu estava enganada.

Antes de começarmos a falar um pouco sobre a história, é bom entendermos o ambiente em que o livro se passa. Após várias guerras o mundo ficou um caos e uma nova organização nasceu para manter a paz: as facções. Elas são divididas em cinco sendo que cada uma delas possui uma característica própria. 

"Trabalhando juntas, as cinco facções têm vivido em paz há anos, cada uma contribuindo com um diferente setor da sociedade. A Abnegação supriu nossa demanda por líderes altruístas no governo; a Franqueza providenciou líderes confiáveis e seguros no setor judiciário; a Erudição nos forneceu professores e pesquisadores inteligentes; a Amizade nos deu conselheiros e zeladores compreensivos; e a Audácia se encarrega de nossa proteção contra ameaças tanto internas quanto externas. Mas o alcance de cada facção não se limita a essas áreas. Oferecemos uns aos outros muito mais do que pode ser expressado em palavras. Em nossas facções, encontramos sentido, encontramos propósito, encontramos vida. Longe delas, não sobreviveríamos."

A história começa em um momento em que os jovens farão um teste de aptidão para saber a qual facção pertencem. Quando atingem uma determinada idade todos passam por esse processo, e com base em sua personalidade podem escolher o lugar ao qual realmente pertencem, que nem sempre é a facção de nascença.

Beatrice cresceu na Abnegação, mas ela sempre sentiu como se estivesse no lugar errado, como se fosse privada de certas coisas que para os demais são normais como se vestir de roupas cinzas e não olhar no espelho. Ela tem um irmão chamado Caleb que sempre sabe exatamente o que fazer em qualquer situação, agindo como um verdadeiro membro da Abnegação. Ele ajuda as pessoas sem pensar duas vezes, repreende os atos "egoístas" que ela comete de vez em quando, enfim, esse tipo de coisa. Um curiosidade que decidi compartilhar com vocês é que por meio do filme, a impressão que eu tinha do Caleb era uma, e ao ler o livro ela meio que mudou um pouco, mas nada muito drástico.

Os testes começam o de Beatrice apresenta um resultado um tanto interessante: inconclusivo. É aí que ela recebe seu primeiro aviso de que deve ficar quieta e nunca comentar com ninguém o resultado do seu teste. Independente disso, ela se vê obrigada a fazer uma escolha, continuar ao lado da família dela ou abandoná-los e entrar para outra facção. Seu irmão, na cerimônia, é chamado antes dela para fazer sua escolha, e para surpresa de todos, ele que sempre pareceu se encaixar perfeitamente na Abnegação, escolhe a Erudição. 

Até onde ela conhece o irmão que tem? E agora? Fica ao lado de seus pais que acabaram de perder um filho para outra facção ou segue seus instintos? Seu nome é chamado e ela se surpreende ao perceber que escolheu outra facção que não tem nada a ver com a dela: Audácia. Como seus pais fazem parte dos líderes da Abnegação, e estão passando por um momento difícil politicamente falando, a escolha dos filhos deles de deixam a Abnegação, acaba ganhando uma repercussão muito grande.

A partir daí, os novos membros das facções passam por um processo de treinamento, e na Audácia ela se vê diante de novo desafio. As pessoas que escolheram a facção, independente de serem transferidos ou nascidos na Audácia, precisam se sair muito bem nas fases do treinamento para que de fato tornem-se membros. Os que não conseguirem se classificar, vão se tornar sem facção, o que para eles é algo pior que a morte.

É nesse ponto que a história começa a se desenrolar. Beatrice vai se redescobrindo ao longo dessa jornada, vivenciando coisas simples que até então nunca havia experimentado. Vou parar por aqui porque talvez existam pessoas que ainda não conheçam a história e não quero estragar a surpresa de ninguém. 

Recomendo esse livro para todos, ele possui uma boa diagramação, a autora conseguiu seguir uma linha contínua na história e fez com que eu meu apaixonasse por um dos personagens. E você? Já leu a série? 





14 comentários :

  1. Oi Priscila,
    Já li Divergente e gostei bastante do livro, acho que a autora criou uma boa história.
    Adorei relembrar da história <3
    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Siga o Twitter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jessica, ela criou uma boa base para a história mesmo né. Espero gostar dos próximos livros.
      Beijos

      Excluir
  2. Oii Priscila!
    posso confessar que já ouvi falar MUITO sobre o livro e o filme dessa série. mas nunca cheguei a marcar como '' necessito ler.Tipo muito.Agora '' hahaha, mesmo depois de várias resenhas lidas continuo na mesma, parabéns pela resenha
    abraços!
    http://febredelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria, sei bem como é. Acredito que certos livros tem o momento certo para gente ler, quem sabe um dia você acaba lendo né.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi, Pri.
    O que mais ouço falar é sobre essa trilogia. Confesso que ainda não li, mas tenho muita curiosidade.
    Que bom saber que a autora segue uma linha e permanece nela. Quero ler, sem dúvidas.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br - Escolha o livro do Top comentarista e participe.

    ResponderExcluir
  4. Oi Pri!
    Sim, eu li. E me decepcionei bastante. Até gostei desse primeiro livro, mas no segundo achei que as coisas começaram a desandar e vários aspectos começaram a me incomodar. E acabei detestando o terceiro. Tomara que isso não aconteça com você.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogpost.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério Mariana? Fiquei com medo agora hem, porque tem livro que acontece isso né. Espero que eles não me decepcionem.
      Beijos

      Excluir
  5. Li toda a série e confesso que o final n me agradou mt mas deu pra ler!!!
    Já os filmes, p mim foram complicados hehehehehe


    Bjooos
    muitospedacinhosdemim.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Priscila.
    Eu comprei a trilogia toda assim que lançou, mas dai meu sobrinho veio todo feliz e contou o final. Fiquei tão brava que eles estão até hoje lá na estante e eu ainda não li e nem quis ver os filmes. Acho a história muito interessante e amo uma boa distopia, então um dia vou ler. Os filmes sempre mudam os personagens mesmo.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oiii Priscila

    Eu li Divergente e me lembro que amei de paixão. Triss, Tobias, e as facções, o universo criado pela autora, amei tudo! Não sei porque não consegui seguir com os livros da´serie. Fui deixando, o tempo foi passando e acabei esquecendo um monte de coisas, então desencanei e me dediquei à outras leituras. Então vieram as adaptações e acabei ficando só nas adaptações. Ainda assim, é uma série que quero voltar a ler, ainda que seja mais pra frente

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  8. Olá, Priscila.
    Conheço a trilogia, mas nunca li. Meu contato foi através dos filmes. A premissa é bem legal, mas essa pegada mais juvenil não me chama tanto a atenção. Então, por isso, não sei se leria.
    Bom saber que a autora consegue manter uma mesma linha e nível na obra.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Não li ainda essa série/triologia, e não tenho muita vontade, mas tenho curiosidade sim, pois muitos dizem que é bom. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  10. Oi Pri, tudo bem ???
    Olha, eu sou uma daquelas pessoas que até hoje não leu a trilogia de Divergente. E sabe, conforme os filmes foram sendo lançados, conforme as pessoas foram comentando e as resenhas foram surgindo, eu fui perdendo a vontade de ler os livros.
    Algum dia pretendo lê-los, mas isso provavelmente irá demorar, já que a minha vontade anda bem curtinha, rsrsrs.
    Gostei de saber que conseguiu ler o livro e que curtiu a leitura !!!

    Beijinhos
    Hear the Bells

    ResponderExcluir
  11. Olá, Priscila.
    Eu assisti somente o primeiro filme e achei legal. Contudo, não me animei a ler. A sua resenha me motivou mais do que o filme.
    Talvez eu acabe dando uma chance, afinal.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de novembro. Serão dois vencedores, dividindo 3 livros.

    ResponderExcluir