[Resenha] A Lua de Mel - Sophie Kinsella

7 de mai de 2017


Título: A Lua de Mel
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Páginas: 496
Lançamento: 2013
Classificação: 4/5
Sinopse: Ao se dar conta de que o namorado nunca vai pedir sua mão em casamento, Lottie toma uma decisão. Termina o compromisso com ele e diz o tão sonhado sim a Ben, uma antiga paixão, com quem ela havia prometido se casar se ambos ainda estivessem solteiros aos 30 anos. Os dois então resolvem pular o namoro e ir direto para uma cerimônia simples e seguir para a lua de mel em Ikonos, a ilha grega onde eles se conheceram. Mas Fliss, a irmã mais velha da noiva, acha que Lottie enlouqueceu. Já Lorcan, que trabalha na empresa de Ben, teme que o casamento destrua a carreira do amigo. Fliss e Lorcan então elaboram um plano para sabotar a noite de núpcias do casal e impedir que os noivos cometam o maior erro de suas vidas. ”

Sophie Kinsella está entre os meus autores queridinhos. Acho que comecei a gostar dela mesmo antes de ler os livros; de tanto ver as pessoas elogiando as histórias, o humor presente nelas, eu acabei desenvolvendo esse carinho todo.  O livro que eu mais queria ler, e que nunca dava certo comprar, – porque sempre tinha livros que eu colocava na frente desse – era A Lua de Mel. Por fim acabei lendo o arquivo digital mesmo.

Lottie é uma mulher bem-sucedida. Ela já está na casa dos trinta e aprendeu uma lição muito importante sobre relacionamento: cuidado com o que você fala. Sempre que ela tocava no assunto casamento, mesmo que não fosse o dela, isso sempre desencadeava uma reação não muito agradável.

“Em minha experiência, a palavra ‘casamento’ é como uma enzima. Ela provoca todos os tipos de reação em um relacionamento, a maioria do tipo que leva ao fim. ”

Ela conta que uma vez, quando namorava um tal de Jamie, eles estavam muito felizes. Era um namoro sério sabe, aí quando ela comentou – só comentou – que seus pais tinham se casado quando eles tinham a mesma idade que eles, Jamie disse que eles precisavam dar um tempo.

Lottie está namorando Richard atualmente. Ela o considera o mais bonito de todos os seus namorados. É trabalhador, mas não obcecado. Não é tão rico quanto um antigo namorado dela, mas isso realmente importa? Ela gosta da gargalhada dele, de como ele é engraçado e da harmonia que flui entre eles.  Por conta de todos esses fatores, e por ter detectado alguns sinais que Richard vinha dando há algum tempo, ela tem certeza de que finalmente será pedida em casamento. E como ela acredita que isso vá acontecer, ela dá um passo à frente dele e compra um anel de noivado masculino.

Ela acredita que ele fará o pedido durante um almoço, então, ela vai toda preparada, deixando sua imaginação flutuar e a levar para lugares onde nunca ousara ir.

“Tenho tanta sorte. Em quarenta anos, quando estivermos enrugados e grisalhos, vamos andar pela The Strand de mãos dadas e nos lembrar de hoje, agradecendo a Deus por termos nos encontrado. Quais eram as chances nesse mundo repleto de estranhos? O amor é tão aleatório. Tão aleatório. É um milagre na verdade...”

Tudo parece caminhar perfeitamente, alguns contratempos acontecem, mas nada que não possa ser contornado. Mas um pequeno detalhe põe os planos de Lottie no chão. Ela se confundiu. Entendeu tudo errado e agora está diante de um Richard confuso, que nem se quer pensou em casamento.

“ – Lottie, sinto muito, mas não faço ideia do que você está falando. – Richard enfia as mãos nos cabelos. – Não mencionei casamento, nem noivado, nem nada.
– Mas... mas era disso que você estava falando! Quando pediu o champanhe e me disse ‘É melhor você me dizer’, e eu respondi ‘De todo o meu coração, sim’. Foi sutil! Foi lindo!”

 Envergonhada e confusa, Lottie admite com todas as forças que tem, que não pode ficar esperando. Ela quer ter uma família e se recusa a ficar na lista de espera. Então, com muito esforço, ela termina com Richard e o deixa sozinho no restaurante.

Sua irmã, Fliss, sabe que sempre Lottie termina com alguém, faz alguma loucura, e em todas as vezes se arrepende depois. Diante da nova situação, ela fica de olho na irmã tentando prever o que ela fará depois do vergonhoso “não-pedido de casamento”.

As coisas acontecem muito rápido. Um antigo namorado de Lottie entra em contato com ela e eles marcam um encontro. Ao conversar com Ben ela relembra tudo o que viveu quando os dois namoravam, dos sonhos que tinham, das risadas e principalmente de como eles eram perfeitos um para o outro. Ben acaba de perder o pai, e quer ter um relacionamento de verdade e por isso foi atrás de Lottie, para propor que se casassem. Sim, ele realmente está falando de casamento.

Eles não precisariam passar por todo o processo de se conhecer porque eles sabem muito bem como as coisas fluem entre os dois. Lottie aceita com uma condição – não farão sexo até estarem casados.
Eles se casam e vão direto para o lugar onde se conheceram para passar a lua de mel: uma ilha grega linda e maravilhosa. Daí em diante é só palhaçada.  A irmã dela, Fliss, fará de tudo para impedir que esse casamento seja consumado, podendo assim, fazer com que a irmã caia na real e perceba o tamanho da burrada que está fazendo, e anule o contrato matrimonial.

No começo eu gostei muito do Ben, achei ele divertido, espontâneo, tudo de bom, mas logo nas primeiras páginas a gente percebe que o que ele quer mesmo com essa história de casamento, é sentir toda a intensidade que tinham quando eram mais jovens. Ele fica o tempo todo falando do corpo dela, arrumando uma forma de ir para cama com Lottie e coisas do tipo. Já Lorcan, o amigo dele, é uma pessoa que leva a sério tudo o que faz e que enxerga a besteira que esses dois estão fazendo com essa história de casamento. Claro que ele pensa que o amigo pode estar sendo vítima de um golpe, já que herdou uma empresa milionária. Ah, e não se esqueça do Richard, ele também aparece mais vezes na história.

Eu gostei do livro. Não foi tão bom quanto eu imaginava mas acredito que isso se dê pelo fato de eu ter idealizado ele por muito tempo sabe, só cobiçando e imaginado como seria a história. Quem decidir se aventurar em mais uma história da Sophie, pode esperar muitas risadas, cenas constrangedoras, algumas reviravoltas e um final eletrizante. A leitura fluiu e li acabei lendo o livro muito rápido. A Sophie tem esse toque de leveza na escrita dos livros dele né. E vocês, já leram A Lua de Mel? Me contem nos comentários o que acharam da história e se pretendem ler o livro.

Até a próxima!

Esse livro faz parte do desafio Fuxicando sobre Chick-List 2017, na categoria :

Ler um chick-lit indicado por alguém (pode pedir para alguém escolher um para você);


6 comentários :

  1. Olá, Priscila.
    Eu gostei bastante desse livro, mas acabei um pouquinho decepcionada com ele. Como amo a Sophie coloquei muitas expectativas e achei que faltou alguma coisa. Mas ainda amo ela hehe

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sil!
      Não achei ruim sabe, mas acho que esperava mais também. Isso que dá criar expectativa né. Mas no fim das contas, gostei da história.
      Beijokas

      Excluir
  2. Olá,
    Eu tenho uma amiga que sempre me indica esse livro, mas por minha experiência anterior com a autora não ter sido tão positiva, eu sempre vou adiando a leitura.
    Mas desse ano não pode passar, obrigada pela resenha.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alê! Qual livro dela que você não curtiu muito?
      Li apenas esse e O Segredo de Emma Corrigan, então se os demais livros são ruins. Mas esse garate boas risadas (haha).
      Beijokas

      Excluir
  3. Oi Pri,

    Eu adorei esse livro! Ri muito das confusões todas. Mas acho que quando a gente cria muita expectativa isso acontece mesmo.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda!
      Estou tentando aprender a não esperar muito de uma obra pra não acontecer isso novamente. O livro é bem engraçado né (haha) ri em muitas partes.
      Beijokas

      Excluir